Cronologia

02/01/1873 às 23:30 hs.

Nasce Maria Francisca Teresa Martin, à Rua Sainte-Blaise, 36, hoje 42.

04/01/1873

Batismo na igreja de Nossa Senhora, pelo Pe. Lucien Dumaine. Padrinhos: a irmã mais velha, Marie (13 anos) e Paul Albert Boul (13 anos).

14/01/1873

Primeiro sorriso à sua mãe.

15/03 ou 16/03/1873

Partida para Semallé (Orne), casa de Rosa Taillé, a fim de ser amamentada.

02/04/1874

Retorna definitivamente para sua casa.

24/06/1874

Começa a falar quase tudo.

29/03/1875

Viagem com a mãe até Mans para visitar Irmã Maria Dositéia, no mosteiro da Visitação

16/07/1876

Primeiro retrato. Faz beicinhos para o fotógrafo.

24/12/1876

Sua mãe, Zélia Martin, consulta com Dr. Notta, em Lisieux, a respeito de seu tumor no seio. Não é mais possível fazer uma cirurgia.

03/04/1877

Aos quatro anos: “Serei religiosa em um claustro”.

04/04/1877

Primeiro escrito de Teresa: um bilhete a Luisa Madalena, amiga de Paulina.

18 a 23/06/1877

Sra. Martin, Maria, Paulina e Leônia fazem uma peregrinação a Lourdes

28/08/1877

Morre da Sra. Martin

29/08/1877

Sepultamento da Sra. Martin. Teresa escolhe Paulina como sua segunda mãe.

LISIEUX – LES BUISSONNETS (1877-1888)

15/11/1877

Chegada de Teresa e suas irmãs a Lisieux, aos cuidados do tio Guérin

16/11/1877

Instalação nos Buissonnets

30/11/1877

Chega o pai, Sr. Louis Martin

08/08/1878

Pela primeira vez, Teresa vê o mar, em Trouville

Verão de 1879 (ou em 1880)

Visão profética a respeito da provação de seu pai

01/12/1880

Primeira carta (que se conserva) que ela escreveu sozinha (a Paulina)

12/01/1882

Inscrição na Obra da Santa Infância

16/02/1882

Paulina decide ingressar no Carmelo

verão 1882

Fica sabendo da partida próxima de Paulina. Sente-se chamada ao Carmelo. Fala com Madre Maria de Gonzaga

Outubro 1882

O nome Teresa “do Menino Jesus” lhe é proposto por Madre Maria de Gonzaga.

25/03/1883

Páscoa. Sr. Martin, Maria e Leônia estão em Paris. Teresa adoece na casa dos Guérin. Tremores nervosos, alucinações

06/04/1883

Tomada de hábito de Paulina (Irmã Inês de Jesus). Teresa pôde abraçar sua irmã no locutório.

07/04/1883

Recaída, nos Buissonnets.

13/05/1883

Pentecostes. Sorriso da Virgem, cura repentinamente Teresa.

01/10/1883

Ano de preparação para a Primeira Eucaristia.

02/04/1884

Exame do catecismo

04/05/1884

Retiro preparatório de quatro dias.

07/05/1884

Confissão geral

08/05/1884

Primeira Eucaristia na Abadia das Beneditinas. Profissão de Irmã Inês de Jesus no Carmelo.

22/05/1884

Comunga pela segunda vez.

14/06/1884

Crisma, por Dom Hugonin, bispo de Bayeux, na Abadia. Madrinha: Leônia, sua irmã.

25/09/1884

Inscreve-se na Confraria do Santo Rosário

14/12/1884

Teresa é nomeada Conselheira da Associação dos Santos Anjos, na Abadia.

26/04/1885

Inscreve-se na Confraria da Sagrada Face de Tours

15/10/1885

Inscreve-se no Apostolado da Oração

02/02/1886

Recepção como aspirante das Filhas de Maria.

15/10/1886

Entrada de Maria no Carmelo (Irmã Maria do Sagrado Coração de Jesus)

25/12/1886

Aos trezes anos, depois da Missa da Meia Noite, Graça da Conversão, nos Buissonnets.

29/05/1887

Pentescostes. Teresa consegue do pai licença para ingressar no Carmelo aos quinze anos de idade.

31/10/1887

Visita a Dom Hugonin, em Bayeux, para solicitar ingresso no Carmelo.

20/11/1887

Audiência de Leão XIII. Teresa apresenta seu pedido ao Papa.

28/12/1887

Resposta favorável de Dom Hugonin à priora do Carmelo, Me. Maria de Gonzaga, para admissão de Teresa.

01/01/1888

Resposta positiva, mas o Carmelo delonga em três meses a entrada de Teresa, para depois da Quaresmas.

09/04/1888

Festa da Anunciação. Entrada de Teresa no Carmelo de Lisieux.

NO CARMELO (1888-1897)

9/04/1888 a 10/01/1889

Postulantado

abril 1888

ocupação: rouparia. Deve também varrer um dormitório.

28/05/1888

Confissão geral ao Pe. Pichon

Fim de outubro de 1888

Teresa é admitida pelo Capítulo Conventual à tomada de hábito.

Novembro de 1888

Em razão do estado de saúde do Sr. Martin, a tomada de hábito de Teresa é adiada

10/01/1889

Tomada de hábito. Última festa para o Sr. Martin. Teresa acrescenta “da Santa Face” ao seu nome religioso.

10/01/1889 a 24/09/1890

Noviciado

Janeiro 1889

Ocupação: refeitório, com Irmã Inês de Jesus e serviço de vassoura.

Julho 1889

Teresa recebe uma graça marial no eremitério de Santa Madalena e “semana do silêncio”.

Janeiro 1890

Retardamento da profissão de Teresa. Ela lê Les fondements de la vie spirituelle, do Pe. Surin.

28/08/1890

início do retiro para profissão. Secura espiritual.

02/09/1890

Exame canônico na capela.

07/09/1890

Teresa duvida de sua vocação

08/09/1890

Profissão de Teresa. “Inundada de um rio de paz”

10/02/1891

Designada como segunda sacristã com Irmã Santo Estanislau

07 a 15/10/91

Retiro pregado pelo franciscano Fr. Alexis Prou. Teresa é lançada “nas ondas da confiança e do amor”

12/05/1892

Última visita do Sr. Martin ao locutório.

02/02/1893

Compõe sua primeira poesia, O orvalho Divino.

20/02/1893

Eleição de Madre Inês como Priora. Teresa torna-se auxiliar da Mestra de Noviças, Madre Maria de Gonzaga.

02/01/1894

Atinge a maioridade. Compõe “A Missão de Joana d’Arc”

Primavera 1894

Começa a sofrer da garganta

29/02/1894

Morte do Sr. Martin no Castelo de La Musse (Eure), às 8h e 15m.

Dezembro 1894

Recebe da Madre Inês de Jesus a ordem de escrever suas memórias.

1895

ano da redação do Manuscrito A

Abril 1895

Confidencia a Irmã Teresa de Santo Agostinho: “Morrerei em breve”.

09/06/1895

Recebe, durante a missa, a inspiração de oferecer-se ao Amor Misericordioso.

11/06/1895

Faz, com Celina, a oblação do Amor, diante da Virgem do Sorriso.

17/10/1895

Teresa é designada, por Madre Inês, irmã espiritual do Pe. Maurício Bellière, seminarista e aspirante a missionário.

20/01/1896

Teresa entrega a Madre Inês o Manuscrito A.

21/03/1896

Difícil eleição (sete dias) de Madre Maria de Gonzaga. Teresa é confirmada no cargo de Mestra auxiliar no noviciado. Outros ofícios: sacristia, pintura, rouparia (com Maria de São José).

2 a 3/03/1896

Noite de Quinta para Sexta-feira Santa: primeira hemoptise, na cela.

05/04/1896

Entrada “nas mais densas trevas”, provação da fé, que durará até sua morte.

30/05/1896

Madre Maria de Gonzaga confia a Teresa um segundo irmão espiritual: Pe. Roulland, das Missões Estrangeiras.

08/09/1896

Redação da segunda parte do Manuscrito B

Início de abril 1897

Gravemente enferma.

06/04/1897

Início das Últimas Palavras.

03/06/1897

Redação do Manuscrito C, por ordem de Madre Maria de Gonzaga.

08/07/1897

Teresa desce para a enfermaria. Manuscrito C inacabado

30/08/1897

Última fotografia, no claustro

14/09/1897

Desfolha uma rosa sobre o crucifixo.

29/09/1897

Agonia. Confissão ao Pe. Faucon.

30/09/1897

Morte de Teresa, diante da comunidade reunida, por volta das 19h e 20m.

04/10/1897

Sepultamento no Cemitério de Lisieux

VIDA PÓSTUMA

30/09/1898

Publicação de 2000 exemplares de “História de uma Alma”.

26/05/1898

Reine Fauquet, menina cega de quatro anos de idade é curada sobre o túmulo de Teresa.

14/08/1921

Bento XV promulga o Decreto sobre a heroicidade das Virtudes da Venerável Serva de Deus.

29/04/1923

Beatificação da Irmã Teresa do Menino Jesus por Pio XI.

17/05/1925

Solene Canonização na Basílica de São Pedro, em Roma.

14/12/1927

Proclamada Padroeira Universal das Missões.

03/05/1944

Nomeada Padroeira secundária da França, juntamente com Santa Joana d’Arc.

30/09/1997

Primeiro Centenário de Sua Morte.

19/10/1997

Solene Proclamação como Doutora da Igreja, pelo Papa João Paulo II.

13/12/1997

A urna com suas relíquias chega ao Brasil para peregrinar por várias dioceses, trazida pelo Cardeal Primaz Dom Lucas Moreira Neves.

30/09/1998

Primeiro Centenário da Publicação de “História de uma Alma”.

Fonte: Obras Completas, Ed. Loyola, 1997, p. 1285-1304.